segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

do pouco que vivi
de quase nada que sei ou aprendi
uma coisa me apavora
a arbitrariedade que parece
reger o universo

quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

réveillon em madrid

vi os fogos de artifício
as luzes que explodiam no céu gélido
ouvi as risadas
e as cantorias de celebração
vozes de múltiplos sotaques e variadas línguas
presenciei os abraços, os beijos
irreverentes cumprimentos
Puerta del Sol era um bolo de gente
urrando de prazer
estouravam bombas
e garrafas de champanha para anunciar
mais um ano
que terá muita sujeira
e, talvez, se tivermos alguma sorte, algo de belo
tudo era alegria e diversão
mas nada me tira da cabeça
que era apenas fingimento