sexta-feira, 27 de novembro de 2009

xis tudo

amanhece
na esquina da Machado de Assis
fazemos o desjejum
gorduroso, duvidoso
como se fosse o último
cúmplices
nos espiam o sol e a lua
lembramos da noite
ordinária como tantas
pelos menos rimos da vida
ou era a vida quem ria de nós?

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

#1

versinhos soltos
me cutucam
tô de preguiça
me finjo de morto

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

do senso de humor divino

era só o que faltava
um fio de cabelo branco
na cabeça já calva

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

apagão

velas aromatizadas queimam
lentamente
e sombras sinistras
dançam pelas paredes
o suor escorre
implacável
nos corpos quentes
lembro-me de como era divertido
quando era menino e a luz faltava
e eu faltava de carona
(absorto em devaneios infanto-existenciais)
enquanto tenho delírios
com ares-condicionados e água gelada

sábado, 7 de novembro de 2009

hoje

lindo seria
se não fosse blue
esse dia azul

terça-feira, 3 de novembro de 2009

03:59

avança a madrugada
sono não chega
mosquitos fazem seus passeios alados
e barulhentos
permito que vivam
são companhia
assim como um papel em branco

súbita mudança de humor

mosquitos esmagados
poema escrito
silêncio