terça-feira, 27 de novembro de 2012

bolinhos

todo o cuidado
para mimar sem exageros
quanto zelo
para que cada um sorria
barrigas cheias de amor
o ardor da maternidade
queima mais que brasa
os bolinhos podiam ser de chuva
mas tinham gosto de sol

sábado, 21 de abril de 2012

penatecla

sofro por antecedência
da decrepitude que ainda não assolou meu corpo
este invólucro que dá seus primeiros sinais de fadiga
cabelo cai. pele se maracuja. olho cansa. músculo se contrai
morro de saudades do que fui, do que sou e do que nunca serei
pranteio os mares que não desbravarei
livros, versos, melodias que não criarei
ah, as mulheres que jamais cairão em meus braços
anseio, peno, carrego, alego, me entrego
ai de mim
quanta pena cai desta pena que nem pena é
é tecla sem alma que não acalma
não acalanta, não amansa, não dança