terça-feira, 30 de julho de 2013

Lisboa

subidas e descidas
à toa
preguiçosa, cheia de vida
a dor do fado
e sua loa
o tempo parado
na melodia de Pessoa
meu coração agitado
tremor, terror, amor
a terra se abre em
fendas e abismos
agonias e sorrisos
inferno ou paraíso?
azulejos
nas falésias do risco
em tuas ladeiras, Lisboa
os novos cariocas
te podem curtir numa boa

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Marrocos

Marrocos é verde com pitadas de açafrão, sal e areia
com montanhas traçadas por delicados pincéis e tintas naturais
Marrocos tem cor de barro, casas temperadas por segredos anciãos
gente que ri um sorriso aberto, carentes de ossos sãos
que sente mais prazer em negociar que vender
Marrocos tem comida simples com sabores sofisticados
dias de sol branco e teimoso, noites de estrelas e esmeraldas
Marrocos cura almas enfermas, cuida de corações partidos
e dá sombra para a dor de amores perdidos
Marrocos é mediterrânico, atlântico e desértico
Marrocos é oásis dos andarilhos sem norte
a melodia da rua, o chamado de Meca
o pescado frito, o pão rústico, o chá de menta
um pouco do que sou hoje